Fatores da homossexualidade

O que leva alguém a enveredar por esse caminho e como preveni-lo

M a u r í c i o   B r i t o

Entende-se por homossexual o contato sexual entre pessoas do mesmo sexo. É uma prática aceita por muitas sociedades, sejam elas modernas ou as antigas; porém, não tem respaldo Bíblico para tal prática. A Bíblia a chama de paixões infames (Rm 1.26-27). Homossexualidade é definida como atração erótica entre pessoas do mesmo sexo; a Bíblia diz que é uma perversão sexual.

 À medida que vamos  nos aproximando dos fins dos tempos, a sociedade vai cada vez mais aceitando a pratica homossexual, e os pseudocrístãos estão entrando na onda do mundo liberal.É dever nosso, como cristãos, falar a verdade, não adianta enganação e usar de subterfúgio teológico, temos que falar a verdade; e a verdade é essa: Deus condena a prática homossexual (Rm 1.26-32). Nos dias hodiernos a mídia esta dando uma atenção especial às pessoas que vivem na prática homossexual como se eles fossem superiores as demais, por outro lado, os políticos ímpios fazem apologia a tal prática e muitas vezes por força de lei. Estamos percebendo uma inversão de valores nos dias hodiernos, o certo é chamado de errado e o errado é dito como certo. Do ponto de vista escriturístico, a homossexualidade é um sinal que a atual sociedade esta entrando no seu último estágio de declino moral. (Is 5.20).

As possiveis causas da homossexualidade

A genética – Geralmente os homossexuais, para justificarem as suas práticas, alegam que já nasceram biologicamente, e são geneticamente determinados; tese esta que jamais foi comprovada pela engenharia genética. Não existem biologicamente um gene que determina que o indivíduo será homossexual. O determinismo genético é uma falácia. O sexo sim, este é definido geneticamente. O que é masculino ou feminino, conforme definem os cromossomos XX, que define o sexo feminino, e o XY que define o sexo masculino. Portanto, é improvável geneticamente que um indivíduo nasce homossexual. Não existe diferença cromossômica para homossexual e heterossexual. O cromossomo sexual de um homossexual é XY que indica que ele é do sexo masculino.
Tem-se falado muito na sociedade sobre mudança de sexo, mas não existe cirurgia para mudança de sexo, o sexo é inalterável, definido geneticamente, o que existe na verdade é mudança de genitália.

O pecado aumentou assustadoramente que o indivíduo chegou a tal perversão de fazer mudança de genitália, porém, o sexo não pode mudar, o sexo obedece à ordem cromossômica. Um indivíduo do sexo masculino, que muda de genitália, trocou apenas a genitália, mas, o sexo continua o mesmo cromossomo XY.  Nesse caso, o indivíduo aprendeu comportamento diferente de seu sexo biológico.


Análise do comportamento -  Análise do comportamento é uma ciência discutida pela psicologia que trata de analisar e observar comportamento e propor mudança de comportamento, nesta perspectiva, homossexualidade é comportamento. Comportamento é adquirido e aprendido e pode ser mudado, mantido ou alterado. Portanto, por determinação genética o indivíduo nasce mulher ou homem, sexo masculino ou feminino. O que vai levar esse indivíduo a ser homossexual não é a genética, mas, sim o meio social. Para a análise do comportamento não existe determinismo genético. O homem é um ser biopsicossocial  e está exposto às diversas influências ambientais e aprende modelos e padrões estabelecidos pelas relações sociais, e nestas relações sociais é possível aprender a ser homossexual; portanto, homossexualidade é aprendida.
A maioria dos homossexuais já teve relação heterossexual, o que indica a mudança do comportamento, hora hétero, hora homo, outra maioria tem atração sexual por sexo oposto o que confirma a tese da análise do comportamento. Sendo comportamento, o indivíduo que é homossexual pode perfeitamente deixar de ser. Além disso, a homossexualidade possui uma série de comportamentos variantes que os leva a ser bissexuais, travestis, transexual, que são comportamentos mutáveis.


Fator educacional - Outro fator a ser analisado é a questão da educação, que pode influenciar as crianças a prática homossexual. O ambiente e a maneira como essa criança é educada, principalmente na primeira infância; elas precisam de referencial paterno e materno para sua identificação saudável. Portanto, a homossexualidade é condicionada de forma a ser aprendida por imposição ou por preferência. Nesta perspectiva, a homossexualidade é pedagógica, ou seja, aprendida. Portanto, a homossexualidade não é genética, não é herdado, é aprendido; o indivíduo aprende a ser homossexual através do meio que este está inserido, por meio do processo educativo.

Outros fatores

Violência sexual na infância -  Todo tipo de atividade sexual abusiva na infância causa sequelas terríveis, sendo uma das possíveis causa da homossexualidade. Os Abusos sexuais em mulheres são mais traumáticos e considerados uma das causas do lesbianismo. Porém, muitas conseguem superar esses traumas e ter uma vida equilibrada. A palavra de Deus é fundamental na restauração da autoestima das vidas traumatizadas pela violência sexual. Como consequência da violência sexual, muitos tem temperamento agressivo, com aparência rígida, e repetirá comportamento de agressividade.
Sentimento de rejeição – Às vezes o pai sonha em ter um filho e, de repente, vem uma menina, ou vice-versa. Ou por gravidez indesejada, sendo este repudiado ainda no ventre.


Traumas no relacionamento conjugal – Mulheres que experimentaram situações de casamentos tão terríveis que se sentem incapazes de relacionarem-se novamente com um homem. No entanto, como continuam tendo suas necessidades por intimidade e contato sexual, acabam crendo que tais necessidades podem ser supridas por outra mulher, apesar de nunca terem tido pensamentos ou atrações homossexuais.
Meios de comunicação – A mídia digital expôs um farto material pornográfico que é ofertado livremente pela internet. A mídia televisiva está compromissada com a divulgação de todo comportamento homossexual levando ao ar material e modelos para o aprendizado da prática homossexual. Portanto, as ciências biológicas e a engenharia genética não conseguiram provar que a homossexualidade é genética. Mas, a mídia se encarregou de levar o processo do aprendizado homossexual para dentro dos lares. A televisão exerce forte influência para as crianças e adolescentes, e eles começam a imitar os ditos modelos, o que resulta na aprendizagem da homossexualidade. Os pais precisam mais que urgente acompanhar de perto e serem seletivos em tudo que seus filhos estão assistindo nas mídias.

Sexualidade à luz da Bíblia

A Bíblia condena as relações homossexuais, e no dizer de Paulo, a homossexualidade é um ato, uma prática imunda, abominável, repugnante, que acelera o juízo de Deus sobre todos os que praticam, seja ativamente ou passivamente (Rm 1.18). Ao lermos a carta de Romanos 1.26-27, iremos entender que Deus abandonou tais homens entregando as suas próprias paixões, por ter mudado o uso natural da sexualidade. A relação sexual natural deve ocorrer entre macho e fêmea, mudar o uso natural é fazer o contrário.


Advertência bíblica – Nos dias do apóstolo Paulo, duas grandes cidades  abraçaram a prática homossexual: Corinto e Roma. O apóstolo combateu fortemente dizendo que essa conduta era abominável por Deus, e que Deus iria trazer juízo aos praticantes da homossexualidade (Rm1.26-32; 2.8;  1Co 6.9-13). Pessoas que são contrários aos princípios de Deus e adotam práticas homossexuais estão sob o juízo do divino.

 

Os praticantes da homossexualidade estão mortos espiritualmente e abandonadas a toda sorte de iniquidade e a perversão, conforme explica Paulo aos Romanos (Rm 1.24-32). A Bíblia ainda traz advertência em Levítico 18.22; 20.13.


Relação sexual conforme o propósito de Deus - A relação sexual idealizada por Deus é permitida entre um homem e uma mulher dentro dos laços sagrados do matrimonio conforme preconiza Gênesis 1.27-28 e Hebreus 13.4 Nesta última referência,  é tida como sagrada.



Mauricio Brito é pastor, membro da AD Jaru (RO), secretário do Conselho de Educação e Cultura da Cemaderon; graduado em Pedagogia, Filosofia e Teologia; graduando em Psicologia; professor universitário e escritor.

Fonte: Encarte do Jornal Mensageiro da Paz - número 1561 - Junho de 2015.
Foto: Shutterstock